Como empregar sua energia de forma correta.

.Um dos primeiros passos é deixar de fazer somente o necessário. E isso vale tanto para empreendedores quanto para colaboradores

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os “chefes de família”, homens e mulheres que são responsáveis pela principal fonte de renda da família, formam 45% dos trabalhadores com mais de 2 anos atuados em uma mesma empresa.

E, por causa da forte recessão que afeta o País há cerca de 2 anos, infelizmente, esse grupo de trabalhadores também está sendo afetado pelas demissões.

A taxa de desemprego dos “chefes de família” subiu 72% desde o início da recessão.

O que muitos que hoje fazem parte dessa estatística não se dão conta é que acabaram dispensados não apenas por conta da crise, mas porque, enquanto funcionários, estavam acostumados a fazer apenas o que eram mandados. Eles estavam vivendo à base da “cultura do mínimo”, como observa o escritor e apresentador Renato Cardoso em seu blog pessoal.

“A cultura do mínimo é a atitude que habita a maioria das pessoas de fazer apenas o que lhes foi mandado. É a busca de empregar o mínimo esforço possível para realizar somente o suficiente para não ser chamado atenção”, analisa.

Então, o primeiro passo para que uma pessoa lute contra as adversidades financeiras é a mentalidade de não se acomodar. É preciso deixar de fazer somente o necessário. E isso vale tanto para empreendedores quanto para colaboradores.

Enxergando além

Muitas pessoas também não conseguem observar o potencial que possuem. O ser humano é capaz de realizar coisas incríveis, porém, é preciso que toda essa energia seja canalizada no caminho certo, realizando algo.

“Sua mente está cheia de energia. Se você não aproveitar esse poder, ela lhe será inútil — ou pior: alguém irá usá-la para se servir de você. Se você não é o chefe de sua mente, alguém será. Este fenômeno explica por que a maioria das pessoas no mundo trabalha para os outros, ou seja, escolhe ser empregado assalariado. Em vez de trabalhar para si e ganhar seu próprio dinheiro, elas trabalham para os outros por um preço fixo. Por quê? Porque é mais fácil para suas mentes. Quando você trabalha para outra pessoa, você não precisa dizer a si mesmo o que fazer. Os proprietários da empresa, gerentes e supervisores fazem isso para você”, orienta Renato Cardoso em outro post.

Ele ainda acrescenta: “Se você quer ser grande, líder, confiado com responsabilidades significantes, aprenda a ir além do mínimo.”

Não importa o cenário, importa a sua postura

Ainda sobre esse tema, em seu livro “50 tons para o sucesso”, o palestrante Jadson Edington, destaca que não importa as dificuldades que são impostas pelas situações, o que importa é como você se posiciona diante do cenário de desafios.

“Se quiser ter sucesso e ser alguém na vida, aprenda a assumir suas responsabilidades. Tenha alergia a desculpas. Não coloque a culpa no Governo, na situação, na crise, no seu passado, no seu histórico, em nada! Encontre a sua parcela de responsabilidade e lide apenas com ela. Se alguém mais tem responsabilidade sobre a situação, não é problema seu. Faça o que tem de ser feito. Comece a agir! Um passo de cada vez. Esteja atento às oportunidades que surgem em cada dificuldade”, enfatiza.

Portanto, é imprescindível estabelecer um plano de ação e cumprir com essa agenda. Só assim os resultados podem ser alcançados.

Congresso para o sucesso

Participe das palestras do Congresso para o sucesso, Em Porto Alegre Av. Júlio de castilhos 607, às segundas-feiras, às 06:30h, 08h, 12h, 15h, 18hs e, especialmente, 20h. Ou em uma Universal mais próxima de você ..

Nenhum comentário: